quem souquem sou
A XamAM
 
Nascida em Passo de Camaragibe, uma cidadezinha do interior de Alagoas, Brasil, Alba Maria logo cedo se destacou como uma criança que tinha acesso ao mundo invisível e gostava de observar e oferecer ajuda às pessoas que necessitavam de uma palavra, de um prato de comida, ou mesmo dos dons inerentes ao seu DNA: a visão a escuta e a consciência. Todas herdadas de sua linhagem (quase esquecida) materna.
 
Em 1965, com apenas doze anos, Alba Maria queria o poder de viver sustentada por seus talentos. Ousou ganhar seu primeiro salário como professora (autônoma) de português de um pequeno grupo de adolescentes. Daí, não parou mais de buscar se manter e assegurar sua independência na vida. “Ali aprendi a fechar meus ouvidos para as indisposições do mundo, para o não incessante do sistema e a abrir minha escuta interior para todas as possibilidades que a Vida me mostrava.”
 
Em 1971 casou, teve filhos e com muita coragem e dedicação os criou. Internamente sabia que havia muito mais a fazer. Alma inquieta, corpo em movimento. Em 1997, resolveu entrar na academia. Intuiu Psicologia. Aprovada no vestibular de Psicologia pela Universidade Federal da Bahia iniciou seus estudos acadêmicos. E os estudos, ao invés de lhe aquietar, lhe desacomodaram mais ainda. Não era aquilo que buscava. Queria sentir. Uma de suas premissas básicas é: Sinto, logo existo. Mergulhou em suas raízes ancestrais, tornou-se uma amante e devota da natureza e foi sendo modelada a ferro e fogo a se tornar uma XamAM, iniciada nos Quatro Elementos. Jornadas profundas e mergulhos indizíveis guiada por sua intuição, iniciou a fazer nas montanhas andinas (peruanas) com xamãs e medicinas locais. Conheceu mistérios de si e da humanidade em incontáveis trajetórias nas espirais cósmicas das plantas de poder. “Foram 12 anos indo anualmente ao Peru e Bolívia para me encontrar com curandeiros e xamãs e resgatar algo que me pertencia e fazia parte de meu próprio destino “até o dia em que me disseram: “agora você está pronta, siga seu caminho. O caminho é solitário, mas paradoxalmente você nunca estará sozinha.” Sim, ela sentiu naquele instante que estava sendo acolhida pelo Círculo Cósmico dos Antigos.
 
Esse impulso recebido lhe ativou a memória quando seu primeiro Mestre, Daskalos (O Mago de Strovolos) lhe perguntara em sua primeira ida à Chipre: o que faz uma inca nessas terras daqui?
Maturando seus conhecimentos percebia que sua vida lhe chamava para algo mais genuíno e foi assim que solitária e decididamente revelou e implantou sua primeira missão quando, de forma inovadora, trouxe os conhecimentos e trabalhos xamanicos às terras baianas, notadamente em Salvador.
 Um preço alto para quem ousava romper cânones e preconceitos enraizados. Mas estava disposta a pagar esse preço. Sua alma gritava por clamar e atingir outros portais.
Nos idos de 1990 foi convidada a levar seus conhecimentos para a Europa, trabalhando nos anos seguintes em países como Alemanha, Itália, Inglaterra, França, Suíça e Áustria. Desses escolheu como base para seus pousos anuais de trabalho os países da Alemanha, Inglaterra e Itália (Sardenha). São mais de 30 anos de Serviço levando o nome da Deusa e o Xamanismo dos Quatro Elementos ao Círculo de centenas de alunos e seguidores/as que mergulham no auto conhecimento através do xamanismo. Atualmente inúmeros dessas pessoas se tornaram mestres e professores de outras tantos seres. “Minha missão se cumpre a cada instante em que um aluno/a meu/inha completa seu ciclo e segue seu próprio caminho levando tatuado em si os ensinamentos da Deusa Mãe mesclado às suas próprias identidades e talentos enquanto curadores/as” diz a XamAM.
 
Em 1992, mais uma vez, contra todos os prognósticos vigentes, fundou a vigorosa Fundação Comunitária Terra Mirim, em Simões Filho, Bahia, local de grandes revoluções interiores para todes que a frequentam.
Transforma conhecimentos, dores e memórias incentivando buscas profundas em todos que lhe procuram. Atendeu e atende milhares de pessoas, revolucionando conceitos e padrões de comportamentos. Alia as raízes (povos nativos) herdadas de sua avó e de sua mãe biológica aos estudos da psique, sempre na busca do Quem sou eu? O que vim fazer nessa terra?
 
Em suas jornadas e ensinamentos, provoca aos alunos, discípulos e participantes a se buscarem e a se tornarem Presentes e Conscientes do ato de existir. “Vão além do espelho e quebrem essa imagem, para saber quem realmente vocês são. Acessem a memória cósmica e se resgatem transformando sua luz na luz do mundo. Dessa forma você e toda essa coletividade chamada humanidade poderá ver as sombras e fantasmas que os cegam. Só assim poderemos renunciar ao conceito de separatividade e de dor".